SUBSCREVER A NOSSA NEWSLETTER

Assim aprendes

Guia da severidade inteligente para pais e professores

Produto: Livro

Formato: 14x22

Páginas: 168

ISBN: 978-88-6137-885-8

Data de Publicação: 01/09/2011






Para crescer de modo saudável e responsável, todas as crianças e jovens precisam de uma série de princípios e regras indespensáveis para aprender a interagir correctamente com a realidade. A função dos adultos que os acompanham é fornecer-lhes os recursos essenciais para aprender a comportar-se correctamente nas várias situações da vida.

Porém, nos últimos anos, tem-se registado o aumento dos adultos (pais, professores, educadores) que tentam “ser fixes”, preferindo apresentar-se como amigos/companheiros de viagem em vez de “guias” ou que simplesmente se sentem extremamente impotentes a nível educativo.

Neste livro, o autor, psicólogo e formador, demonstra como a severidade inteligente é um ingrediente indispensável a uma boa educação – porque querer o bem das crianças significa também assegurar-se de que interiorizam as normas de convivência – e convida os adultos a tomar as rédeas do papel de educadores, sem medo de perder o afecto e a amizade dos filhos/alunos. Contém ideias para reflectir e indicações e sugestões para gerir com austeridade (mas também com amor e carinho) as pequenas rebeldias do dia-a-dia, corrigir comportamentos incorrectos e lidar com os conflitos de maneira eficaz e constructiva.

 

Da premissa

Encontro com cada vez mais frequência pais e professores desesperados com a gestão quotidiana da sua relação com os respectivos filhos ou alunos. São adultos competentes e válidos profissionalmente, mas parecem incapazes não só de compreender as razões que levam as crianças/jovens a rebelar-se contra as regras impostas, mas também e sobretudo de intervir para obter o mínimo de respeito de que necessitam para poder encarnar o papel de educadores. Mães, pais, professores e educadores parecem mais empenhados em preservar a imagem de “jovens adultos bons e compreensivos” do que em ser aceites, amados e respeitados pelas suas qualidades como homens e mulheres. […]

Este livro, fruto da experiência que fui acumulando ao longo dos anos, parte de exemplos do mundo do cinema e da literatura para questionar a moda da educação permissiva de que temos estado a ser vítimas nos últimos anos. Temos mesmo a certeza de que não se pode ser severo e ao mesmo tempo carinhoso? E se esse for o caminho para ajudar as crianças e os adolescentes a tornarem-se adultos felizes, tranquilos e responsáveis? E se esse for o caminho para sermos, enfim, amados e respeitados?


- Premissa

- Severos mas justos: saber impôr regras

O que são as regras

A competência ética

A regra faísca

Porque é que as regras devem ser transmitidas por todos os adultos?

Um mínimo de valores partilhados

Só se cresce com o confronto/conflito

O conceito de “justiça”

O conceito de “severidade”

O conceito de “lógica”

- Intervir ou não intervir: o velho problema da correcção

O que não é uma “intervenção adequada”

O que é uma intervenção correctiva

Como intervir

- O valor formativo da intervenção

Porque intervir é uma escolha correcta e justa

Quando falta a correcção

Necessidade de intervenção

De quem é o dever de intervir?

- Conselhos para intervir em casa e na sala de aula